quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

A III Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência

Por Ieda Maria Jardim (Educadora Social do CREAS que esteve presente como delegada na conferência)

Foi um belo espaço de exercício democrático. O Rio Grande do Sul foi representado por uma delegação de 53 pessoas: sendo 44 delegados titulares, onde, 24 eram homens e 20 mulheres, 22 governamentais e 22 não governamentais 23 pessoas com deficiência (05 pessoas com deficiência física, 04 pessoas com deficiência auditiva e 07 pessoas com deficiência visual). Tivemos ainda 09 acompanhantes.


Do estado, 24 municípios se fizeram presente: Gravataí, Porto Alegre, São Leopoldo, Canoas, Carazinho, Frederico Westphalen, Santiago, Viamão, Cruz Alta, Parobé, Santo Antônio da Patrulha, Panambi, General Câmara, Cachoeira do Sul, Palmares do Sul, Sapiranga, Criciumal, Bento Gonçalves, Sant'Ana do Livramento, Caxias do Sul, Campo Bom, Santo Ângelo, Santa Cruz do Sul e Esteio.

Logo na chegada o grupo identificou um grave problema, a falta de acessibilidade em Brasília, no quesito Hotéis. Vergonhosamente, a capital de todos os brasileiros, não possui quartos adaptados em número mínimo exigido por lei. Ficamos no hotel Explanada, que possuía 18 cadeirantes e 4 quartos adaptados.

Três ministras (Maria do Rosário, Gleisi Hoffman e Tereza Campello), um observador internacional (Luís Fernando Astorga) e a presença da presidenta da república Dilma Rousseff, mostra que o tema está tendo SIM compromisso político!

As palestras, grupos de trabalho e plenária final foram à expressão da participação!

Ocorreram erros e acertos. Propostas boas e ruins. Mas tudo foi resultado de pactuações e discussão democrática, com direito a voz e voto a todos os delegados!

Tivemos a satisfação de eleger o Conselho Municipal de Carazinho como suplente na vaga de conselhos municipais do Conade.

Aprovamos a ampla maioria das propostas que vieram do RS e todas as nossas moções!

O nosso grupo de 44 delegados agiu de forma compromissada, correta e comprometida!

É preciso destacar o protagonismo, cada opinião e palavra emitida pelas pessoas com deficiência do RS. E o apoio daqueles que não tem deficiência, mas estavam lá, defendendo direitos e dando todo apoio necessário!

Muitas foram às dificuldades, mas todas elas foram insignificantes, porque sempre tinha uma mão amiga, um ouvido a escutar, uma mão a sinalizar, uma palavra a confortar... O espírito coletivo nos perseguiu em todos os momentos, nos tornaram fortes, e isso, deve seguir em frente, mantendo esta unidade e esta forma de relação um com o outro.

Não terminou, apenas começamos...


Leia mais Discurso da Dilma Rousseff







segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

3ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência



O CREAS SÃO LEOPOLDO está presente, entre os dias 3 e 6 de dezembro na 3ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência, em Brasília. Com o tema: “Um olhar através da Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência, da ONU: novas perspectivas e desafios”, as preparatórias municipais, estaduais e distrital vão debater, em quatro eixos temáticos, assuntos relativos às pessoas com deficiência. São eles:


Eixo I - Educação, esporte, trabalho e reabilitação profissional;

Eixo II - Acessibilidade, comunicação, transporte e moradia;

Eixo III - Saúde, prevenção, reabilitação, órteses e próteses;

Eixo IV - Segurança, acesso à justiça, padrão de vida e proteção social adequados.


As etapas regionais tiveram início em novembro de 2011 e foram até setembro deste ano.


Cada conselho municipal, estadual e distrital apresentou até 40 propostas, dez de cada temática para etapa nacional. Os resultados dessas atividades no Brasil serão levantados na 3ª Conferência Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência.



segunda-feira, 5 de novembro de 2012

IV SEMINÁRIO DO CREAS SÃO LEOPOLDO: "INTERSETORIALIDADE E A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA”.

DIA: 30 de novembro de 2012 – 8:00h às 17:00h
LOCAL: Unisinos – Auditório Central 01- Av.Unisinos, 950 – Cristo Rei São Leopoldo
          
           Este ano o CREAS São Leopoldo estará completando 5 anos. É com muito orgulho que informamos que no mês de novembro estará sendo lançado o livro do CREAS 5 ANOS: UMA HISTÓRIA CONSTRUÍDA A MUITAS MÃOS. Este lançamento vem acompanhado pelo nosso IV SEMINÁRIO sob o tema “INTERSETORIALIDADE E A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA”.

           Como sabemos nenhuma política pública atualmente deve ser formulada e aplicada se não de maneira intersetorial, afinal a intersetorialidade entre as políticas é um tema importante, pois na gestão pública significa adotar uma decisão racional no processo de gestão.

          Conforme Nascimento (2010 apud Koga 2003, p. 238 e Junqueira 2004, p. 4, 9), a intersetorialidade se destaca como um caminho de perspectiva para a política pública, a fim de articular as políticas sociais, urbanas, econômicas de forma a atuarem nos mesmos territórios prioritários da política da cidade. Ou seja, a intersetorialidade constitui uma concepção de uma nova maneira de planejar, executar e controlar a prestação de serviços. Isso significa alterar toda a forma de articulação dos diversos segmentos da organização governamental e dos seus interesses. Diante disso, a implantação integrada das várias políticas sociais não depende apenas da vontade política de quem tem o poder ou os recursos disponíveis, pois cada política setorial tem seus interesses e práticas e devem ser executados.

           Ainda para Nascimento (2010 apud Koga, 2003) a intersetorialidade se torna, assim, uma qualidade necessária ao processo de intervenção. Programas, projetos, equipes técnicas são desafiados ao diálogo, ao trabalho conjunto com a perspectiva da inclusão social.

          O CREAS São Leopoldo entende como importante a abordagem deste tema junto a política da assistência social onde estamos inseridos, principalmente na discussão da articulação na execução de ações junto a populações beneficiárias específicas.

Contamos com a sua presença, venha participar!!

PROGRAMAÇÃO

8h – Café da manhã coletivo, preparado com carinho pelas Mulheres da Horta Comunitária

Credenciamento para inscrições prévias e no dia (não garantimos a participação para os grupos de trabalho para inscrições realizadas no dia)

8h30 – Abertura cultural e oficial

9h às11h –

Painel I: A INTERSETORIALIDADE E AS DEFINIÇÕES DE PAPÉIS JUNTO A POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL;

Painel II: A OPERACIONALIZAÇÃO DA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA A PARTIR DA INTERSETORIALIDADE;

Painel III: A CONSTRUÇÃO DA INTERSETORIALIDADE NA POLÍTICA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL: UM OLHAR SOBRE A PRÁTICA LEOPOLDENSE

11h – Debate

12h – Intervalo de almoço

13h30 às 16h30 – Grupos de trabalho

1. A intersetorialidade e os direitos da população em situação de rua;

2. A intersetorialidade e a busca da autonomia do idoso e da pessoa com deficiência;

3. A intersetorialidade e a busca dos direitos da criança e do adolescente;

4. A intersetorialidade e o atendimento aos adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas.


INSCRIÇÕES:

FICHA DE INSCRIÇÃO


Nome Completo: _________________________________________________________

Nome Social: ______________________________________________Sexo: ( ) F ( ) M

CPF: (Preenchimento obrigatório) ______________________

Data de Nascimento: _________________          Email: ______________________

Endereço: _________________________________________________________

Cidade: ___________________________   Estado: ________________________

Telefones para contato: _______________________________________________

Profissão: _________________________________

Órgão/Instituição que representa: ________________________________________ 

Área em que atua: ___________________________________________________

Possui alguma deficiência: ( ) não ( ) sim, __________________________________

Em caso positivo, informe se é necessário algum material adaptado: _____________

___________________________________________________________________

Grupo de trabalho de interesse: _________________________________________

OBS: Serão disponibilizadas 50 vagas por grupo de trabalho.

As inscrições devem ser encaminhadas on-line, ou impresso A/C de Célia, para o e-mail: creasdpsesacis@gmail.com, ou para o endereço Rua André Rebouças, nº49, Centro, São Leopoldo.

A atividade gera certificado para aqueles que obtiverem 75% de presença.

Quaisquer dúvidas, nos contatar:

E-mail: creasdpsesacis@gmail.com
Telefone: (51) 3568-7710 (Com Fernanda, ou Célia)







segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Participação do CREAS na 2ª Mostra Nacional de Práticas em Psicologia


Por Fernanda Landim

Nos dias 20, 21 e 22 de setembro, no Anhembi (SP), a Psicóloga Fernanda Cássia Landim esteve participando da 2ª Mostra Nacional de Práticas em Psicologia, em comemoração aos 50 anos da profissão no Brasil, além de apresentar o pôster ‘’Uma Prática Interdisciplinar em Meio Aberto’’, atividade executada pela equipe das Medidas Sócio-Educativas. O trabalho contou com a co – autoria da Educadora Social Ivania Beatriz Rossato e da Estagiária de Psicologia Maria Letícia Albrecht Blum. No pôster, apresentamos as oficinas desenvolvidas com os adolescentes em cumprimento de medida sócio – educativa, os objetivos, as temáticas abordadas e os resultados obtidos.

Em conversa com profissionais de Campinas/SP e Vinhedos/SP, percebeu-se uma dificuldade em comum encontrada nos serviços de MSE que é a participação dos pais pouco efetiva, tendo também estes espaços tentarem construir grupos de familiares sem êxito. De modo geral, a prática do trabalho é bastante semelhante, aproximando-se muito da prática que realizamos no CREAS.

Abaixo, o resumo do trabalho apresentado em São Paulo:
Título: Uma prática interdisciplinar em meio aberto
Autora: Fernanda Cássia Landim
Co-autoras: Ivânia Beatriz Rossato e Maria Letícia Albrecht Blum

O Serviço de Proteção Social a Adolescente em Cumprimento de Medidas Socioeducativas de Liberdade Assistida (LA) e Prestação de Serviços a Comunidade (PSC) do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), atende adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto, determinadas judicialmente, no município de São Leopoldo/RS. Aos adolescentes que cumprem LA, além de atendimentos psicossociais, eles participam de oficinas socioeducativas que consistem em exposições orais e/ou audiovisuais a respeito do tema, conforme expectativas e necessidades dos indivíduos e famílias atendidos, com o objetivo de informar, sensibilizar, mobilizar e valorizar potencialidades, priorizando a socialização e responsabilização do adolescente. As oficinas socioeducativas proporcionam aos adolescentes, além da não reincidência, o acesso aos direitos, à reflexão e a desnaturalização do ato infracional. A Psicologia e a Educação Social atuam como suportes nesta prática possibilitando a construção de novos projetos de vida. Dos resultados alcançados, podemos elencar alguns fatores que nos apontam para a eficácia desta prática: a vinculação com o serviço, o próprio cumprimento da medida socioeducativa, a ressignificação da mesma, a permanência nas oficinas após o término da medida, a participação da comunidade, entre outros.










sexta-feira, 14 de setembro de 2012

I SEMINÁRIO REGIONAL DA REDE DE MEDIDAS SOCIOEDUCATIVAS E EDUCAÇÃO



A rede de MSE é constituída por instituições que atuam com adolescentes em cumprimento de Medidas Socioeducativas na Regional de Novo Hamburgo, que abrange 34 municípios. Este seminário é resultado de debates fomentados por este grupo de trabalho, buscando maior aproximação com as escolas que acolhem adolescentes desta região. Com este evento pretendemos promover o diálogo sobre: Quais os conflitos que surgem na relação entre o adolescente e a escola? De que forma podemos superá-los? Quais desafios e possíveis encaminhamentos no contexto escolar?

Público alvo: Professores, Supervisores, Orientadores, Gestores, Educadores Sociais, Agentes Socioeducadores, Técnicos da rede de atendimento.

Data: 28/09/2012 – das 8h às 17h

Local: Auditório da Escola Municipal de Ensino Fundamental Maria Gusmão Brito- Av. João Correa, 286 – São Leopoldo - RS

8h- Credenciamento

8h20min – Contextualização e apresentação da Rede das Medidas Socioeducativas

8h30min - Mesa de Abertura- Autoridades das Instituições

COL - Círculo Operário Leopoldense

SJDH - Secretaria de Justiça e dos Direitos Humanos

FASE - Fundação de Atendimento Socioeducativo

Ministério Público da Infância e Juventude de Novo Hamburgo

SMED - São Leopoldo- Secretaria Municipal de Educação de São Leopoldo

2ª CRE- 2ª Coordenadoria Regional de Educação

SACIS - Secretaria de Assistência Cidadania e Inclusão Social de São Leopoldo

SDS - Secretaria do Desenvolvimento Social de Novo Hamburgo



10h15min- Intervalo

10h30min- Mesa Redonda- A relação entre adolescência, socioeducação e escola

Profa. Dra. Beatriz Aguinsky (Serviço Social PUC RS e Assistente Social Judiciária)e Profa. Dra. Miriam Lemos (Doutora em Educação pela UFRGS – Professora e assessora na área de Educação de Jovens e Adultos)

Coordenadora da mesa: Liana Lemos Gonçalves (Pedagoga do CASE NH)

12h15min- Intervalo para almoço

13h30min- Mesa Redonda: Juventude, conflitos e garantia de direitos.

Dr. Miguel Granato Velazquez (Secretário Adjunto da Justiça e dos Direitos Humanos do Estado).

Dr. Hilário Dick (Coordenador do Observatório Juvenil do Vale - UNISINOS) - Apresentação da Pesquisa: Um monólogo estribilho: juventude, segurança e violência.

Coordenação da Mesa: Fabiane Asquidamini (Coordenadora da ONG Trilha Cidadã).

15h- Mesa Redonda- Relato de Experiências das Escolas.

Escola Municipal de Ensino Fundamental Paul Harris - SL

Escola Estadual de Ensino Médio Dr. Caldre Fião – SL

Escola Estadual de Ensino Fundamental Antônio Conselheiro – NH

Escola Municipal de Ensino Fundamental Dilza Flores - SL

Colégio Estadual Ivo Buhler – Montenegro

Coordenadora da Mesa: Maria Isabel Faustini (Diretora da Escola Estadual Bento Gonçalves – NH)

Promoção do Evento: Rede de Medidas Socioeducativas: COL- Círculo Operário Leopoldense, FASE- Fundação de Atendimento Socioeducativo, SMED São Leopoldo- Secretaria Municipal de Educação de São Leopoldo, 2 ª CRE- 2ª Coordenadoria Regional de Educação, SACIS- Secretaria de Assistência Cidadania e Inclusão Social de São Leopoldo, SDS- Secretaria do Desenvolvimento Social de Novo Hamburgo, UNISINOS - Universidade do Vale do Rio dos Sinos

OBS: As inscrições devem ser encaminhadas para o e-mail casemi@col.org.br, até o dia 26/09/2012

Informações com CREAS São Leopoldo – creasdpsesacis@gmail.com, 3568-7710 ou 9877-7650 com Fernanda, Marcos, Ivânia e Letícia.

Segue ficha de inscrição:

 
I Seminário Regional da Rede de Medidas Socioeducativas e Educação
Ficha de Inscrição


Nome completo



CPF



Entidade



Endereço (da entidade)



Município



e-mail



Telefone



Obs.: O Número de CPF é necessário ser preenchido para validar certificação.

terça-feira, 21 de agosto de 2012

VI Conferência estadual dos direitos da pessoa com deficiência: o CREAS esteve presente


Por Ieda Mº Jardim

(Educadora social-CREAS/PCDIF)


A VI Conferência estadual dos direitos da pessoa com deficiência ocorreu nos dias 27, 28 e 29/07/2012, foi realizada no salão de eventos do Hotel Plaza São Rafael e teve como tema “Os direitos da pessoa com deficiência - Um olhar”, através da convenção sobre os direitos da pessoa com deficiência da ONU: Novas perspectivas e desafios. Foi discutido o Plano de Ação da Década das Américas pelos Direitos e pela Dignidade das Pessoas com Deficiência – OEA, o Compromisso Nacional pela Inclusão das Pessoas com Deficiência, o Plano Viver Sem Limites e demais normas e legislações vigentes.

DO TEMÁRIO:

Art. 3º - A IV Conferência Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência terá como tema central: “Um olhar através da Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência, da ONU: novas perspectivas e desafios”.

Art. 4º - São eixos temáticos da IV Conferência Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência:


I – Educação, esporte, trabalho e reabilitação profissional;

II – Acessibilidade, comunicação, transporte e moradia;

III – Saúde, prevenção, reabilitação, órteses e próteses;

IIII – Segurança, acesso à Justiça, padrão de vida e proteção social adequado.

Na abertura da VI Conferência várias autoridades se fizeram presentes; dentre elas, a atual ministra dos direitos humanos; Maria do Rosário.

Foram discutidos ao longo dos dias assuntos como gestão pública; importância da transversalidade na politica pública e a importância da mobilização no Rio Grande do Sul da pessoa com deficiência.

Questionamentos:

• Quanto à falta de acessibilidade; e o que já se conseguiu avançar.

• Dignidade da pessoa com deficiência.

• Esporte; devem-se trabalhar as potencialidades e não os limites.

• Precisa-se de profissionais capacitados (linguagem dos sinais) e também sensibilizados.

Vários painéis foram apreciados e instituições (FADERGS, CONADE, COEPEDE...) se fizeram presentes e ao longo de toda conferência se falou muito em “Nada sobre nós sem nós”., uma alusão a

Acho importante colocar a deliberações da conferência, ou seja se discutiu, se discutiu, mas o que deliberou-se.

O CREAS esteve lá, por acompanhar constantemente a luta da pessoa com deficiência por dignidade e uma melhor qualidade de vida no município de São Leopoldo. E também por ser um serviço que atende pessoas com deficiência em situação de vulnerabilidade e violação de seus direitos.



Entre nesse Bonde você também!

Por Ivânia, Marcos, Letícia e Luana
(Equipe do MSE)

No mês de agosto de 2012, inicia na Escola Municipal de Ensino Fundamental Dilza Flores o Projeto "Entre nesse bonde você também". Uma iniciativa da Secretaria Municipal de Assistência, Cidadania e Inclusão Social - SACIS, através da equipe do Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação – SMED, Secretaria Municipal de Segurança - SEMUSP e instituições da Rede Socioassistencial.

O projeto tem por objetivo, promover, junto às escolas, espaços de debate, discussão e reflexão acerca das diferentes formas de produção e reprodução da violência, tendo em vista a prevenção da violência na adolescência e da reincidência da prática do ato infracional.

A ideia surgiu a partir das discussões coordenadas pelo Serviço de Proteção Social a Adolescentes em cumprimento de Medida Socioeducativa de Liberdade Assistida e Prestação de Serviço Comunitário, um dos serviços oferecidos pelo CREAS, onde no ano passado foi realizado um projeto piloto em duas escolas da rede municipal durante o mês de novembro de 2011. Os adolescentes que participaram avaliaram como positiva a intervenção para o ano de 2012 e sugeriram temas como: família, armas, drogas, abuso sexual, teatro, música, Amor, sexualidade, bulliyng, entre outros a serem trabalhados.

A metodologia de trabalho segue o formato das rodas de conversa, utilizando-se de dispositivos como vídeos, técnicas grupais, apresentações e trabalhos de livre expressão, para potencializar as discussões.

As oficinas ocorrem todas as terças-feiras das 10h às 12h.




terça-feira, 17 de julho de 2012

Jornada estadual contra a violação e a exploração sexual de crianças e adolescentes

Elaborado por Bianca de Oliveira, Emerson Rosa, Fabiana Bischoff, Fernanda Landim e Luana da Silva

A cidade de São Leopoldo está atenta no cuidado às crianças e adolescentes vítimas de abuso sexual. No dia 25 de junho foi sede da X jornada estadual contra a violação e exploração sexual de crianças e adolescentes, que teve como tema: articulando a rede. A solenidade foi realizada no auditório da antiga UNISINOS, no centro de São Leopoldo.

Os serviços que atendem crianças e adolescentes vítimas de violação e exploração sexual na cidade visam a implantação de um centro especializado no atendimento destes casos, que seja capaz de dar conta, de maneira qualificada, desta demanda, tanto da cidade como da região do Vale do Rio dos Sinos.

Temos como modelo de atendimento especializado o CRAI - Centro de Referência no Atendimento Infanto - Juvenil, do Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas que é vinculado à Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre. Este serviço presta atendimento a crianças e adolescentes vítimas de violência, sendo composto por uma equipe formada por: assistentes sociais, psicólogos, psiquiatras, pediatras, ginecologistas, advogados e policiais civis. Fornece acompanhamento integral, desde o registro da ocorrência policial, preparação para a perícia médica, notificação ao conselho tutelar e avaliação clínica até o encaminhamento para tratamento terapêutico na rede de saúde do município de origem da vítima. É considerado um trabalho de referência no país.

É fundamental estarmos mobilizados por um atendimento qualificado desta demanda, considerando que a violação de direitos já ocorreu, e geralmente deixa marcas físicas e/ou psíquicas para os sujeitos que ainda estão se constituindo enquanto tal. Assim, é necessária uma equipe preparada para lidar com a violência sexual e que esteja envolvida nesta causa, inclusive produzindo conhecimento sobre esta prática, até mesmo para não perpetuar a situação vivida, já que um mau atendimento pode fazer reviver de maneira traumática o acontecido. Enfim, foram dados os primeiros passos e a equipe do CREAS é parceira nesta caminhada...


ARTIGO
Violência sexual contra crianças e adolescentes: dados de um serviço de referência

Resumo

Este artigo descreve o perfil dos atendimentos realizados durante os anos de 2002 a 2006 por um centro de referência em acolhimento a crianças e adolescentes vítimas de violência sexual do estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Os dados foram coletados a partir de fichas de atendimento, observando as variáveis sexo, idade da vítima, órgão e região de encaminhamento. Nesse período, foram acolhidos 4.294 casos de violência sexual ou suspeita, com uma média anual de 858 acolhimentos. As vítimas eram predominantemente meninas (75%) e tinham entre cinco e 12 anos. Os encaminhamentos foram realizados a partir de diferentes serviços, com predomínio daqueles advindos da rede de proteção. Quanto à região de origem dos encaminhamentos, a maioria foi proveniente da cidade de Porto Alegre-RS. Ressalta-se a importância de conhecer a população usuária dos serviços de saúde pública, a fim de adequar os atendimentos e aperfeiçoar a articulação entre os diferentes segmentos da rede.

Palavras-chave: Abuso Sexual, Violência Sexual, Rede de Proteção.

Ler mais...


segunda-feira, 18 de junho de 2012

Equipe do SEAS e PROAME conversam com funcionários de supermercado local


Por Caroline Timm, Rodrigo Carvalho, Ana Carolina Ferreira, Mauriceia Santos e Marcos Gasperim

No dia 11/05 o SEAS em parceria com o Proame, esteve no supermercado Nacional (Walmart) para uma conversa com os funcionários sobre pessoas em situação de rua. Foi uma tarde muito proveitosa, pois quando a comunidade se percebe integrada e se dispõem a entender, compreender e participar, o enfrentamento a essa violação de direitos adquire maior sentido.

A desigualde estrutural fica salientada naquele espaço, porque temos ali uma grande corporação como representação de um sistema excludente e na calçada, parte do produto deste sistema, as pessoas (adultos e crianças) em situação de rua.

A pergunta é: É esse "espetáculo" social que queremos? Pensamos que não, por isso nos reunimos naquela tarde, uma ONG (Cedeca/ Proame), um representante estatal (SEAS) e todos aqueles funcionários, não simplesmente para sensibilizar e conscientizar, mas para que todos percebam que esta problemática social é da conta de toda a sociedades, sem que seja em uma perspectiva higienista, onde se retira do espaço da rua e os coloca em outro buscando a limpeza do espaço. Pelo contrário, trabalhamos na perpectiva da integração social e respeito às demandas, dificuldades, temporalidades e da construção histórica/social dos indivíduos e famílias em situação de rua, visando a aceitação das diferenças sociais, culturais e econômicas, que no entanto, não banaliza a situação de rua como um mero produto do sistema vigente, mas que percebe como PESSOAS com suas histórias de vidas, ambições e frustações, alegrias e perdas...

Equipe SEAS






terça-feira, 5 de junho de 2012

SEMINÁRIO TRABALHO INFANTIL SÃO LEOPOLDO



O seminário será realizado pela Comissão do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil - COMPETI São Leopoldo. Tendo como objetivo a problematização acreca do trabalho infantil no município.

Abertura: 13h30
Apresentação artística
Saudações do Prefeito Municipal
Apresentação da COMPETI, COMDEDICA e EDUCAÇÃO

Palestras: 
Eridan Magalhães, Fórum Estadual do Trabalho Infantil - Trabalho infantil
Charles Pranke, Secretário Municipal da Assistência Social- Política de Assitência Social

Debate 

Venha debater este tema tão importante para  nossa sociedade.

Contamos com a sua presença.

EQUIPE CREAS  SÃO LEOPOLDO

quinta-feira, 29 de março de 2012

CREAS DE CASA NOVA!!!!

Finalmente... Após longo tempo... Mudamos para nossa nova casa!!!

Alguns sentimentos...

O tão esperado dia chegou, estamos na nova sede do CREAS, com um espaço amplo para melhor atender aos usuários. Durante aproximadamente dez meses em que trabalho no CREAS sempre esperamos muito por este dia, muitos planos, idéias discussões, tudo pensando como seria este dia e como seria a organização deste novo espaço, agora já estamos aqui, prontos para receber vocês...

Marlize - Assistente Social


... Significou a caracterização do espaço de trabalho e a independência. Vivenciarmos este momento tão relevante e esperado por muito tempo, tanto para quem já trabalhou no CREAS, como para quem chegou há pouco tempo. É acima de tudo uma conquista de algo tão desejado por todos nós!

Fernanda Landim – Psicóloga

... A mudança revela que estou trabalhando num serviço que prospera, cresce e não pára no tempo. Com o crescimento do serviço todos crescemos juntos. O trabalho no CREAS passa a ser fundamental para a nossa vida pessoal. Crescemos com o trabalho e crescemos como pessoas, como seres humanos e como profissionais. No entanto, precisamos estar alerta para acompanhar este crescimento e não ficar apenas na manutenção de um serviço...

Fábio Cristiano Meneghini Bueno - Psicólogo

Enfim...

A casa nova deve afirmar o CREAS de fato como um Centro de Referência, qualificar o espaço de acolhimento, escuta, orientação. Não é o novo espaço físico que diz do CREAS, mas a motivação que vem com isto, a dinâmica do trabalho, o comprometimento com o que fazemos, compromisso e respeito com a história do outro...


Fernanda Ferreira Canfield da Luz - Diretora do CREAS

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

III CONFERÊNCIA NACIONAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA


O Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência agendou a III Conferência Nacional para o período de 03 a 06 de dezembro, em Brasilia. Para isso deverão ser realizadas as conferências estaduais (de 15 de maio a 31 de julho) e municipais. A Conferência municipal de São Leopoldo ocorrerá nos dias 24 e 25 de abril. Para a preparação e escolha de delegados ocorrerão pré-conferências divididas pelas regiões da cidade. Essas pré-conferências ocorrerão conforme calendário abaixo:

Região Leste
Local: Jardim dos Sonhos
Data: 28/02
Horário: 13:30 às 17h
Informações: Sra. Silvia; Fone:3588 6690

Região Centro/Sul/Sudeste
Local: Câmara de Vereadores
Data: 09/03
Horário: 13:30 às 17h

Região Norte
Local: Escola Paulo Couto
Data: 27/03
Horário: 13:30 às 17h

Região Nordeste
Local: Escola Municipal Maria Edila ( Fone: 3592 1311)
Data: 20/03
Horário: 13:30 às 17h

Região Nordeste
Local: Associação Paim - Rua Omero Batista, nº126, ao lado do posto de saúde.
Data: 16/03
Horário: 13:30 às 17h

A temática central da Conferência será: "Um olhar através da Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência, da ONU: novas perspectivas e desafios".
O tema será discutido em quatro eixos:
a) educação, esporte, trabalho e reabilitação profissional;
b) acessibilidade, comunicação, transporte e moradia;
c) saúde, prevenção, reabilitação órteses e próteses e
d) segurança, acesso a justiça, padrão de vida e proteção social adequados.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Fórum Social Mundial 2012

Fórum Social Temático 2012 terá Gilberto Gil, Emir Sader, Boaventura, Ramonet e presidentes

A assessoria de comunicação do Fórum Social Temático 2012, que será realizado em Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo e Novo Hamburgo, de 24 a 29 de janeiro, divulgou alguns números e informações sobre atividades confirmadas para o evento. Já há mais de 400 atividades autogestionárias inscritas e estão confirmadas a presença de 300 convidados nacionais e internacionais, entre intelectuais, líderes de movimentos sociais, ativistas das causas ambientais, trabalhistas, indígenas e de direitos humanos.

Estão confirmados, por exemplo, nomes como Boaventura de Sousa Santos, Emir Sader, Ignacio Ramonet, José Graziano e João Pedro Stédile, entre outros. No dia 25 de janeiro, o Fórum Social Temático 2012 abrigará uma mesa de cúpula reunindo os presidentes de Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai.

Paralelamente a essas atividades, ocorrerão vários outros eventos, entre eles o Fórum Mundial de Educação e Fórum Mundial da Saúde e Seguridade Social. Os quatro municípios que recebem o encontro terão eventos culturais, feiras de economia solidária e praças de alimentação. Em Porto Alegre, o Acampamento Intercontinental da Juventude instalará suas barracas mais uma vez, no Parque Harmonia. Na programação cultural, estão confirmados shows de Gilberto Gil, Manu Chao, Fito Paez, Leci Brandão, Martnália, entre outros. Além desses shows, estão programadas mostras de cinema, espetáculos de teatro de rua e apresentações circenses.

O tema central de debates do FST 2012 será a crise capitalista e os caminhos para a justiça social e ambiental. Além disso, o Fórum pretende ser um espaço para a formulação de propostas para a Cúpula dos Povos, que ocorrerá em junho de 2012 no Rio de Janeiro, paralelamente à reunião de cúpula das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Maiores informações sobre como participar, credenciamentos (de imprensa, inclusive) e sobre a programação podem ser acessadas na página do encontro (www.fstematico2012.org.br).

Acampamento da Juventude

Já estão abertas as inscrições para o Acampamento Intercontinental da Juventude do Fórum Social Temático 2012, que será realizado de 24 a 29 de janeiro, em Porto Alegre. O Acampamento da Juventude ocupará o tradicional espaço já ocupado em outras edições de Fóruns, no Parque Harmonia, região da orla do Guaíba, na capital gaúcha.

O valor da inscrição é de R$ 20,00 e dará direito à participação nas atividades do FST 2012. Todos os participantes do AJ receberão uma bolsa e uma caneca de plástico recicladas.Para fazer a sua inscrição, entre em www.fstematico2012.org.br/acampamento.

A organização do FSt 2012 aproveita para lembrar que inscrições para todas as demais modalidades de participação no FST 2012 só terão validade quando feitas no site oficial do evento, em www.fstematico2012.org.br


Fonte: Agência Carta Maior

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

O CREAS que queremos em 2012


Queremos um CREAS amplo e democrático, onde todos tenham voz e opinião.

Queremos um CREAS em que todos sintam-se acolhidos e possam trocar saberes, informações, sentimentos...

Queremos um CREAS em que todos sejam cúmplices, respeitando, ouvindo e questionando um ao trabalho do outro, de modo a construir e evoluir e não menosprezar e destruir.

Queremos uma coordenação cooperativa, parceira, que esteja junto; sugestionando, problematizando e abraçando junto os problemas e inquietações.

Queremos um CREAS lindo, horizontal nas relações profissionais e ascendente nas relações humanas.

Em 2012 gostaríamos de um CREAS coletivo...

Que a gente possa trabalhar não só as demandas individuais, nossas e dos usuários, mas entender que estas fazem parte de um todo muito maior, e que é só a partir do coletivo que as transformações acontecem.

Que acima de tudo a gente pense coletivamente, e enfrente as dificuldades coletivamente. Como trabalhadores da assistência social é nosso dever trabalhar pelo direito a participação política dos usuários, fomentando sua organização na luta por direitos.

Da mesma forma, para enfrentar as nossas lutas enquanto classe trabalhadora, necessitamos estar unidos e pensando estratégias coletivas.

Em 2012 queremos um CREAS desburocratizado, onde os fluxos não sirvam para nos engessar e sim para facilitar o trabalho.

Um CREAS que trabalhe sempre pelos direitos da população usuária e não por interesses individuais.


Queremos para 2012 um CREAS reflexivo e critico também acerca de de nossas ações enquanto trabalhadores da Assistência Social. Que possamos lembrar que isso se reflete em nosso publico, e que esse pensar com criticidade nada mais é do que Ética.

Que continuemos na construção do trabalho interdisciplinar, afinal temos sim, a obrigação de fazê-lo assim, pois esse foi o tema do III seminário do CREAS.

Que possamos retomar sistematicamente os fluxos internos do CREAS pois, embora estejamos distribuídos em quatro diferentes serviços, todos somos CREAS e temos a obrigação de saber sobre todos eles


Que a nossa equipe continue fazendo um ótimo trabalho ético e político.

Desejos descritos por Caroline, Débora e Rodrigo e compartilhados por toda a equipe do CREAS SL.



Abraços Nossos e Feliz Ano Novo!!!!